Marô Barbieri por Caio Riter

Linda homenagem do meu amigo e escritor, Caio Riter.

com meu amigo Caio Riter

com meu amigo Caio Riter

“Marô é daquele tipo de pessoa quixotesca. Não no sentido de ser meio amalucada e de sair lutando contra moinhos de vento. Não. Marô Barbieri é próxima ao personagem de Cervantes em sua garra, em sua capacitade de sonhar e transformar sonhos em possibilidades. Bacana, também, que ela não sonha sozinha. Carrega aqueles que sonham como ela ao lado, abre portas, estende pontes, e vai se tornando referência quando se pensa a literatura feita para crianças.
Faz alguns anos que cruzei pela primeira vez com a Marô Barbieri, ela, com certeza, nem lembra. Eu era apenas mais um dos tantos professores participantes de um curso sobre a magia dos contos de fadas.
Lembro que analisamos as várias características dos clássicos textos, lembro que montamos caldeirões de bruxas, castelos de príncipes e princesas; mas o que mais me encantou naquele momento foi o brilho no olhar daquela mulher que falava de literatura, com amor, com verdadeiro encantamento. E, mais, literatura feita para crianças.
Aquele que escreve para os pequenos e nascentes leitores é também fada, é ser encantado que faz com que as palavras literárias sejam possibilidade de broto no coração de novos homens, de novas mulheres.
A Maria Eunice Barbieri, a Marô — como é conhecida por seus tantos leitores e também por seus afetos — é fada. É fada por que acredita na transformação que a literatura pode operar no dentro de cada um, é fada por que distribui, por todos os cantos, suas palavras de amor à literatura; quer em seminários; quer em palestras; quer em encontros com os mais pequenos; quer como escritora; quer como patrona de tantas feiras; quer como professora, que vai semeando no coração de outras e tantas professoras a sua verdade: A leitura é necessária, é fundamental.
Marô criou fóruns, criou encontros internacionais de contação de histórias, foi presidente da AGES, dinamizando a entidade, e já aprontou tantas outras façanhas, que até nome de biblioteca virou: uma em Morro Reuter, outra em Santa Maria do Herval.
E em sua trajetória, iniciada há muito, a professora foi cedendo espaço para a contadora de histórias, que foi cedendo espaço para a escritora, que foi inventando histórias e criando personagens inesquecíveis no imaginário infantil, tais como a Tinoca Minhoca, a formiga-bruxa Zica, A caneta falante, a bolinha que não sabia pular, a princesa que não sabia chorar, o João com seus olhos repletos de magia. Muitos e tantos personagens, muitos e tantos livros, muitos e tantos leitores que, no contato com sua dedicação à literatura, foram se tornando leitores.”
(foto: Luís Ventura)

Anúncios

Marô Barbieri conta histórias às crianças de Nova Petrópolis

Alunos da Educação Infantil ao 5º ano interagiram com a autora

Alunos da Educação Infantil ao 5º ano interagiram com a autora

Alunos da Educação Infantil ao 5º ano interagiram com a autora

 

Nos dias 18 e 19 de outubro, diversos alunos da Educação Infantil ao 5º ano de Nova Petrópolis desfrutaram de momentos encantados com a autora Marô Barbieri. A escritora e contadora de histórias, que veio a Nova Petrópolis através do projeto Autor nas Escolas, conversou com os pequenos e dividiu com eles algumas de suas histórias. Marô interagiu com os alunos das escolas Augusto Guilherme Gaedicke, Bom Pastor, 1º de Maio, Piá, Pedro Beck Filho e São José.

A autora falou sobre o início da sua vida como escritora e contou a história da Tinoca Minhoca, uma das personagens de seus livros. O pequeno estudante da escola 1º de Maio Gustavo Samuel dos Santos, de 9 anos, adorou a história. “Gostei muito da Minhoca Tinoca, bem engraçada. Ri bastante da forma que a autora contou a história”, disse. Após, Marô interagiu com as crianças através de um jogo de perguntas e respostas sobre os seus livros. “Gostei das perguntas e do jogo em si. Como lemos os livros, ficou fácil de responder”, disse a estudante da escola 1º de Maio, Perla Yara Wartha, de 10 anos.

Para receber a escritora nas escolas, os alunos leram diversas de suas obras, como “Tinoca Minhoca”, “Afonso e Vanderlei”, “A princesinha que não sabia chorar”, “A fada que colecionava manhãs”, “Pestilóide e o sumiço da chuva”, “A bolinha que não rolava” e “O baile das portas”. “Fiquei encantada com a receptividade dos alunos de Nova Petrópolis. São atenciosos e, pelo que pude perceber, bons leitores”, disse Marô.

Literatura comentada
A autora também participou da sexta edição da Literatura Comentada, promovida pela Biblioteca Pública Municipal Profª Elsa Hofstätter da Silva. O encontro, que aconteceu no colégio Frederico Michaelsen, trouxe a temática da literatura infantil e infanto-juvenil, através de oficinas ministradas pela autora.

Além de Marô Barbieri, o município ainda receberá personalidades importantes da literatura, como Christina Dias, Uili Bergamin e David Coimbra. Diversos autores já vieram a Nova Petrópolis nesse ano, como Michelle Iacocca, Júlio Emílio Braz, Léia Cassol, Gládis Barcellos, Sandra Zeni Carli, Jorge Furtado, Valesca de Assis e Hermes Bernardi Júnior. O ciclo 2011 do projeto será finalizado com o premiado escritor de livros infanto-juvenis Pedro Bandeira, no dia 7 de novembro. O “Autor nas Escolas” integra o projeto Nova Petrópolis Cidade Leitora e conta com o apoio do programa “A União Faz a Vida”.

via http://www.redesul.com.br/noticias/show/noticia/22945-maro-barbieri-conta-historias-as-criancas-de-nova-petropolis