MARÔ BARBIERI no SALON DU LIVRE 2015 de PARIS

salon-du-livre-20151

Convidada pela Association Kortczac e pelo Instituto do Livro da cidade polonesa de Cracovia, a escritora gaúcha Marô Barbieri realizará oficinas de criação textual no Salon du Livre, evento que acontece de 20 a 24 de março, em Paris/França.

A escritora costuma visitar a Polônia, principalmente Varsóvia e Cracóvia, e tem enorme admiração pela música de Fréderic Chopin, pianista e compositor polonês.

As oficinas irão propor ligação criativa entre música e texto.

Além disso, fará lançamento de seu livro  bilíngue  (português/francês) ” A princesa que não sabia chorar”, com ilustração e projeto gráfico de Martina Schreiner.

Em 2015, o Salon du Livre de Paris – um dos maiores eventos de literatura da Europa – tem o Brasil como país homenageado.

Anúncios

Novos desafios para Marô Barbieri em 2013

O ano começa cheio de projetos e de novos desafios para Marô Barbieri. CIRANDAS DE VILLA LOBOS – REINVENÇÕES se prepara para viajar pelo RS e até para alçar voos mais longos pelo Brasil!

Vale a pena conhecer este livro, atividade multiartística da qual participo, junto com Olinda Alessandrini e Clara Pechansky!

cirandas de villa lobos

Para comprar o livro Cirandas de Villa-Lobos – Reinvenções, acesse o link da loja virtual do Studio Clio

Caio é especial. E Marô também.

com meu amigo Caio Riter

Marô Barbieri e Caio Riter

“Antes de a Marô Barbieri ganhar espaço especial em minha galeria de afetos, eu já sabia que ela existia, e muito aprendi em seus cursos. Depois, o carinho foi acréscimo. Pessoa especial, de amizade e parcerias. É para ela esse “Trenzinho caipira”, de Heitor Villa Lobos, na voz de Ney Matogrosso.
Da série “Música para os amigos – 10ª edição”

Caio Riter

Composição musical, feita sobre a fada do livro “A fada que colecionava manhãs”

o professor e músico Ademir Homrich, apresentou uma composição musical, feita sobre a fada do livro “A fada que colecionava manhãs”, de Marô Barbieri.

O livro A Fada que Colecionava Manhãs, de Marô Barbieri

O livro A Fada que Colecionava Manhãs, de Marô Barbieri

Durante todo ano de 2012, professores das escolas municipais de Canoas, coordenados pela SMED, encontraram-se mensalmente para compartilhar experiência e vivências na área da literatura. No último encontro, o professor e músico Ademir Homrich, apresentou uma composição musical, feita sobre a fada do livro “A fada que colecionava manhãs”, de Marô Barbieri.
Veja como foi o “lançamento/ensaio” da música, na oficina!

 

Marô Barbieri participará do Projeto “Tecendo histórias, traçando ideias”

Uma ilustração do livro “A bolinha que não rolava” integrará a exposição itinerante que percorrerá várias escolas municipais de Porto Alegre.

A bolinha que não rolava

Marô Barbieri irá participar como escritora e ilustradora, do Projeto “Tecendo histórias, traçando ideias”, uma iniciativa da 1a Coordenadoria Regional de Educação em parceria com a Associação de Escritores e Ilustradores de LIJ  (AEI-LIJ). Uma ilustração do livro “A bolinha que não rolava” integrará a exposição itinerante que percorrerá várias escolas municipais de Porto Alegre.

Marô Barbieri de um jeito um pouco diferente

Marô Barbieri, pelo fotógrafo e escritor Leonardo Brasiliense. O objetivo era mostrar cada escritor de um modo muito diferente do que ele costuma ser. No meu caso, uma foto dramática em que eu esfaqueio o leitor. Logo eu, que sou praticamente uma flor de civilidade...

Marô Barbieri, pelo fotógrafo e escritor Leonardo Brasiliense. 

Esta foto faz parte de uma exposição organizada pela Laís Chaffe e pelo fotógrafo e escritor Leonardo Brasiliense. O objetivo era mostrar cada escritor de um modo muito diferente do que ele costuma ser. No meu caso, uma foto dramática em que eu esfaqueio o leitor. Logo eu, que sou praticamente uma flor de civilidade…

 

Parabéns Leitor! 7 de janeiro é Dia do Leitor

Dia do Leitor, 7 de junho de 2013. Com carinho, Marô Barbieri.

Dia do Leitor, 7 de janeiro de 2013. Com carinho, Marô Barbieri.

Advertência: para entrar neste jardim é preciso um sorriso, muita calma, três piscadinhas de olho e uma vontade enorme de encontrar o que é estranho, diferente e quase novo. Embarque nesta viagem – com valentia e coragem – e descubra porque a fantasia é sempre a melhor companhia.”

De ‘Pequenos segredos de jardim’, Marô Barbieri. Edição da autora, 2010.

Bem-vindo 2013!


Que 2013 não chegue apenas como um ano novinho em folha mas que traga consigo uma boa pitada de trabalho, três dedos de alegria, um palmo de saúde e um barril de felicidade!

Com Carinho

Bem-vindo 2013 topo face

Noite de Premiação – Livro do Ano da AGEs

Vejam um registro fotográfico da noite de Premiação – Livro do Ano da AGEs, em julho deste ano.   Os vencedores da 10ª edição do Prêmio AGES 2012 — Livro do Ano. A cerimônia de entrega da láurea oferecida pela Associação Gaúcha de Escritores foi realizada no Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, em Porto Alegre, que … Continuar lendo

Marô Barbieri por Caio Riter

Linda homenagem do meu amigo e escritor, Caio Riter.

com meu amigo Caio Riter

com meu amigo Caio Riter

“Marô é daquele tipo de pessoa quixotesca. Não no sentido de ser meio amalucada e de sair lutando contra moinhos de vento. Não. Marô Barbieri é próxima ao personagem de Cervantes em sua garra, em sua capacitade de sonhar e transformar sonhos em possibilidades. Bacana, também, que ela não sonha sozinha. Carrega aqueles que sonham como ela ao lado, abre portas, estende pontes, e vai se tornando referência quando se pensa a literatura feita para crianças.
Faz alguns anos que cruzei pela primeira vez com a Marô Barbieri, ela, com certeza, nem lembra. Eu era apenas mais um dos tantos professores participantes de um curso sobre a magia dos contos de fadas.
Lembro que analisamos as várias características dos clássicos textos, lembro que montamos caldeirões de bruxas, castelos de príncipes e princesas; mas o que mais me encantou naquele momento foi o brilho no olhar daquela mulher que falava de literatura, com amor, com verdadeiro encantamento. E, mais, literatura feita para crianças.
Aquele que escreve para os pequenos e nascentes leitores é também fada, é ser encantado que faz com que as palavras literárias sejam possibilidade de broto no coração de novos homens, de novas mulheres.
A Maria Eunice Barbieri, a Marô — como é conhecida por seus tantos leitores e também por seus afetos — é fada. É fada por que acredita na transformação que a literatura pode operar no dentro de cada um, é fada por que distribui, por todos os cantos, suas palavras de amor à literatura; quer em seminários; quer em palestras; quer em encontros com os mais pequenos; quer como escritora; quer como patrona de tantas feiras; quer como professora, que vai semeando no coração de outras e tantas professoras a sua verdade: A leitura é necessária, é fundamental.
Marô criou fóruns, criou encontros internacionais de contação de histórias, foi presidente da AGES, dinamizando a entidade, e já aprontou tantas outras façanhas, que até nome de biblioteca virou: uma em Morro Reuter, outra em Santa Maria do Herval.
E em sua trajetória, iniciada há muito, a professora foi cedendo espaço para a contadora de histórias, que foi cedendo espaço para a escritora, que foi inventando histórias e criando personagens inesquecíveis no imaginário infantil, tais como a Tinoca Minhoca, a formiga-bruxa Zica, A caneta falante, a bolinha que não sabia pular, a princesa que não sabia chorar, o João com seus olhos repletos de magia. Muitos e tantos personagens, muitos e tantos livros, muitos e tantos leitores que, no contato com sua dedicação à literatura, foram se tornando leitores.”
(foto: Luís Ventura)